Padi acredita primeira clínica na capital paulista

A clínica Cura Imagem e Diagnóstico, com 38 anos de história, é a primeira da capital paulista a receber o certificado do Programa de Acreditação em Diagnóstico por Imagem (Padi) do Colégio Brasileiro de Radiologia (CBR). A entrega do documento aconteceu no dia 14 de julho, na sede do CBR, em São Paulo (SP). Esteve presente um dos sócios do serviço, o radiologista Dr. Jacob Szenjfeld, que recebeu o certificado das mãos do presidente do Colégio, Dr. Antonio Carlos Matteoni de Athayde, e do coordenador do Padi, Dr. Conrado Cavalcanti.

“Mais uma grande clínica junta-se ao Padi. Ter um parceiro com tantos anos de história e excelentes serviços prestados à sociedade mostra a força do programa do CBR, que, com certeza, se tornará cada vez maior”, enaltece o Dr. Matteoni.

“Estamos muito satisfeitos por receber a acreditação do programa. Sentimo-nos amadurecidos, percebendo que os processos passaram a funcionar melhor após a adoção do Padi”, exalta o Dr. Jacob, que considera o CBR ter seu próprio programa de certificação uma iniciativa muito poderosa e uma interpretação bastante correta e avançada das necessidades da especialidade. “Os doutores Henrique Carrete Junior, Antonio Carlos Matteoni de Athayde e Conrado Cavalcanti, que são os líderes do Padi, têm um lugar especial na história da Radiologia, porque o programa chegou para mudar a especialidade. Não é algo passageiro. Veio para ficar e ser aprimorado.”

Segundo o Dr. Jacob, a equipe de auditores do CBR foi extremamente eficiente, respeitosa com procedimentos e processos de atendimento: “Tudo transcorreu em um ambiente de muita cordialidade, o que nos deixou bastante tranquilos, porque essa é sempre uma grande preocupação ao se fazer uma auditoria no decorrer do atendimento de um paciente”.

Qualidade

Dr. Jacob vê a qualidade como fundamental ferramenta de gestão e acredita que os gestores de clínicas estejam se conscientizando de sua importância: “Existe um custo para a clínica, mas seu resultado é evidenciado em várias ações. Aumenta especialmente a segurança do paciente, que é privilegiada por haver adequada identificação, correta aplicação do protocolo de exames, apropriados seguimentos de relatórios e detalhes específicos de cada laudo, prevenindo erros sistemáticos e possibilitando a realização de auditoria”.

De acordo com o especialista, a auditoria interna é um imenso protetor para os problemas do dia a dia de qualquer clínica e tem um direcionamento muito interessante, pois a verificação de erros de procedimentos ou de protocolos permite a educação e a correção, a melhoria dos processos, além de ser uma retroalimentação positiva.

O sócio do Cura afirma que o Padi contribui para controlar a operação e o atendimento do paciente, a se proteger de problemas legais e a ser mais exigente. Para ele, a realização de protocolos bem definidos e desenvolvidos para o atendimento do paciente tem ajudado sobremaneira a gestão das clínicas de Diagnóstico por Imagem: “Temos uma variedade enorme de riscos no cotidiano: identificação, protocolos errados, emergência, mau atendimento, entre outros. Se há um protocolo sistematizado, isso melhora de forma significativa a atuação da clínica”.

“O fato de começar a reparar nas pequenas impropriedades de um exame leva ao aperfeiçoamento, a exigir que o procedimento seja adequado, a fazer um treinamento, de tal forma que começam a aparecer vários fenômenos: as equipes ficam atentas em não errar, em detectar possíveis chances de erros, ou seja, acontece um amadurecimento no atendimento e isso reflete na atenção ao paciente, que passa na se sentir mais seguro.”

Na visão do gestor, a clínica passa a dar mais atenção ao protocolo com uma melhoria em eficiência, a quantificar seu equipamento para saber se o problema é dela, do médico ou do equipamento; começa a avaliar de forma mais adequada a produtividade do equipamento, o apoio da equipe de enfermagem e a uniformidade da documentação. “Tudo isso leva a uma mudança, que, em um primeiro momento, é sutil, mas, à medida que são incorporadas cada uma das benfeitorias, tudo se torna natural, tão comum que os envolvidos passam a nem perceber”, explica. E acrescenta: “A percepção de possíveis impropriedades fica mais satisfatória e o seu serviço melhora, o que deixa o gestor mais tranquilo, o paciente mais seguro, o médico mais confiante e as respostas, como um todo, mais corretas”.

A clínica

A Cura incorpora a maior parte das subespecialidades da Radiologia e Diagnóstico por Imagem, agregando também um laboratório. Possui cerca de 300 funcionários e, além do Dr. Jacob, tem como sócia a Dra. Vera Szenjfeld, sua esposa. “Temos uma equipe de radiologistas diferenciada, com doutores, mestres e especialistas com Título do CBR”, diz o médico.

Seguindo a linha do Padi, o Dr. Jacob conta que a clínica já vinha praticando as diversas certificações das diferentes subespecialidades, adotando BI-RADS® para a mama, PI-RADS® para a próstata, TI-RADS® para a tireoide, e desenhando procedimentos de uma forma reprodutível. Os procedimentos são auditados e revisados, em busca das melhores práticas, o que é sempre valorizado pelo Cura, assim como o bom atendimento.

Após ter passado por dois outros processos de acreditação, houve um amadurecimento por parte da equipe, que hoje consegue responder adequadamente e de forma organizada em situações difíceis.

“Recomendo o Padi a todos os colegas. No início, é um processo trabalhoso, mas torna a gestão boa, dá uma melhor qualificação e faz o crescimento acontecer de forma natural. Por isso, aconselho fortemente que se faça esse tipo de acreditação, pois ajuda o gestor a posicionar-se melhor e deixa seu serviço mais homogêneo. Com certeza, traz benefícios e resultados importantes”, finaliza o Dr. Jacob.