Mega Imagem, a primeira clínica acreditada pelo Padi

A Mega Imagem, de Santos (SP), é a primeira clínica certificada pelo Programa de Acreditação em Diagnóstico por Imagem (Padi), após participar do processo como piloto. Foram avaliadas todas as etapas que envolvem um exame de diagnóstico por imagem, do agendamento ao recebimento do laudo, passando pelo exame propriamente dito, além do foco na segurança do paciente.

O certificado foi entregue, no dia 11 de setembro, aos sócios da clínica, doutores Luis Augusto Gasparini e Nancy Nagata Gasparini, na sede do Colégio Brasileiro de Radiologia em São Paulo (SP).

Valorização da qualidade e do colaborador

“A cultura da empresa já era voltada para a qualidade. O Padi foi a continuidade do trabalho que temos desenvolvido há alguns anos”, explica a Dra. Nancy, radiologista titular do CBR.

De acordo com ela, a característica principal da clínica é a valorização do colaborador: “Eles têm muitas ideias e o fato de abrirmos espaço para que as exponham faz com que se sintam motivados, entendam e participem”.

Envolvimento do líder em todos os processos

A clínica presta serviços há 20 anos, possui 160 funcionários e colaboradores. Além disso, em torno de 25 médicos executam exames e realizam laudos.

“O líder tem que saber como unir todos os envolvidos e fazê-los enxergar que o objetivo é o mesmo: atender o paciente”, opina o Dr. Luis, também radiologista titular do Colégio. Ele adiciona que, para isso, não pode apenas ficar no escritório, sem se envolver com a parte operacional.

A Dra. Nancy lembra que esse foi um dos motivos para o crescimento da clínica: “A partir do momento em que enxergamos isso, conseguimos fazer com que todos os processos funcionassem de uma maneira mais dinâmica e qualificada”.

Os sócios tiveram dificuldades quando iniciaram as atividades da clínica, pois não havia, na época, a mentalidade de treinar o médico para liderar. “Não tínhamos a ideia de toda a equipe que está por trás do trabalho, diferente do que ocorre hoje, quando o médico tem uma visão mais ampla”, conta a Dra. Nancy.

“O profissional tem que saber como estão sendo feitos os processos. Não basta apenas realizar o diagnóstico”, completa.

Excelência no atendimento

Segundo o Dr. Luis, a acreditação é um caminho sem volta. “Não existe sobrevivência sem qualidade. O cliente compara você não só com outras clínicas, mas com outros serviços, como por exemplo, hotéis e restaurantes”, observa.

Ele acrescenta que já foi o tempo em que bastava o status de médico para ter a confiança do paciente: “Hoje em dia, o médico tem uma boa respeitabilidade, mas as pessoas, quando vêm uma situação de má qualidade no entorno, têm uma visão muito crítica”.

Embora a busca por conhecimento técnico fosse prioridade, os sócios perceberam com o passar do tempo que isso não era suficiente. Foi então que voltaram o foco para a área administrativa. “Algumas vezes, fazíamos um ótimo exame, mas o paciente não saía satisfeito por causa de uma falha no atendimento. Era contraditório”, recorda o Dr. Luís, relatando que esse foi um dos estímulos para a mudança de mentalidade dos sócios.

Acreditação e sustentabilidade

Sobre o programa do CBR, o radiologista conta que tiveram que se esforçar bastante para conseguir sua certificação.

Para ele, o Padi é completo, pois avalia toda a estrutura e também a segurança, além de enfocar a área de imagem.

Outra característica é a relação com a sustentabilidade financeira da clínica. “O programa nos ajuda até a enxergar se é mesmo necessário comprar um equipamento em determinado momento”, exemplifica a Dra. Nancy.

Ela diz que este é mais um importante fator a ser considerado por aqueles que estão em dúvida sobre aderir ou não ao Padi.

  • Postado em: 5 de outubro de 2015