F.A.Q.

É a sigla do Programa de Acreditação em Diagnóstico por Imagem.
Para beneficiar pacientes em todo o país, por meio do incentivo à qualidade crescente da prática médica na área, e para oferecer aos serviços uma referência em acreditação construída a partir da credibilidade e do conhecimento do Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem (CBR).

A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), órgão do Ministério da Saúde, tem desenvolvido, nos últimos anos, normas e padrões para implantação de programas de qualidade nas operadoras e prestadores, com foco nos pacientes. Na visão da ANS, tais programas podem melhorar a qualidade em vários aspectos e também aperfeiçoar o emprego dos recursos financeiros no sistema de saúde. Nesse cenário, tornou-se imprescindível a criação de um programa de acreditação em Diagnóstico por Imagem do próprio CBR para garantir melhorias efetivas nas clínicas e serviços como um todo, e não somente mais uma exigência a gerar novos custos.

Mais uma vez, o Colégio é pioneiro ao estabelecer um programa específico para a Radiologia e Diagnóstico por Imagem com participação ativa dos profissionais da área. É uma ação fundamental no sentido de auxiliar as clínicas e serviços de imagem a demonstrarem formalmente sua capacidade de prestar serviços com qualidade técnica, de gestão e foco na segurança do paciente, tendo sua competência atestada pela entidade que representa a especialidade em caráter oficial no Brasil.

Uma equipe designada pelo próprio CBR. Existe também a Comissão de Acreditação em Diagnóstico por Imagem (Cadi), responsável, entre outras atribuições, por avaliar as imagens e laudos dos serviços e analisar os relatórios das auditorias, juntamente a todo o processo de acreditação, para decidir sobre a emissão de cada Certificado de Acreditação.

Em agosto de 2015, após pouco mais de um ano de desenvolvimento. Sua criação havia sido aprovada na Assembleia Geral Ordinária do CBR realizada em outubro de 2013.

O Padi foi criado com a participação de renomados especialistas nas áreas médica e administrativa, ligados ao CBR ou contratados para esse projeto, todos com vasta experiência em Diagnóstico por Imagem. Em setembro e outubro de 2014, a Norma Padi foi submetida a consulta pública, reunindo contribuições das entidades e empresas da área da saúde. Depois disso, ocorreram os primeiros cursos de formação de auditores e também auditorias-piloto. Todas essas experiências contribuíram para o amadurecimento do programa.

Todo o processo de inscrição, pagamento, submissão de imagens, agendamentos e trocas de informação será digital e online. Depois da aprovação do cadastro, a clínica ou serviço terá um login e uma senha para acessar a área restrita do site e comunicar-se diretamente com a equipe do Padi.

O Padi tem como objetivo principal incentivar os serviços a buscarem a excelência, com foco na qualidade dos exames e laudos e na segurança do paciente. A melhoria da qualidade pode ser atingida por meio de subsídios educativos e avaliações objetivas e imparciais realizadas por equipe de auditores capacitados e que somam experiências em gestão e na área de Radiologia e Diagnóstico por Imagem.

O programa abrange avaliação de todas as etapas que envolvem um exame de diagnóstico por imagem, do agendamento ao recebimento do laudo, passando pelo exame propriamente dito, além do foco na segurança do paciente.

Para isso, foi estruturado em cinco grandes áreas, levando em conta a estreita interação entre os processos. Cada uma delas apresenta a descrição de seu propósito, seus critérios e seus itens de orientação aplicáveis, de modo integrado:

Governança e Gestão

Gestão da Qualidade

Realização do Exame

Apoio Diagnóstico

Gestão da Infraestrutura, Radiação e Segurança

A Norma Padi aplica-se a qualquer porte de serviço, independentemente do número de funcionários, perfil de exames disponibilizados e número de exames realizados. “Não foi planejada para refletir ou verificar exclusivamente o cumprimento de nenhuma legalização ou regulamentação nacional específica, mas procura constituir-se em um referencial de qualidade e um padrão de excelência no setor”, explica o coordenador do Padi, Dr. Conrado Cavalcanti.

A ideia é oferecer qualificação contínua e acreditação de serviços de Diagnóstico por Imagem e serviços de Radiologia Intervencionista, tendo o apoio das sociedades parceiras, entre elas a Sociedade Brasileira de Radiologia Intervencionista e Cirurgia Endovascular (Sobrice) e a Sociedade Brasileira de Medicina Nuclear (SBMN).

Os princípios e critérios foram desenvolvidos com base nas melhores práticas e nos requisitos legais mínimos. O processo contou com a participação e revisão de radiologistas representantes dos diferentes métodos, além de contribuições de profissionais de diversos serviços e das comissões técnicas do CBR.

A adesão ao Padi é voluntária. O programa avalia o cumprimento de requisitos mínimos de qualidade e segurança, aplicáveis a qualquer perfil de instituição (pública ou privada), porte de empresa ou região do país.

Podem candidatar-se ao Padi os seguintes serviços de Diagnóstico por Imagem:

  • Densitometria Óssea
  • Mamografia
  • Medicina Nuclear
  • Radiologia geral
  • Radiologia Intervencionista
  • Ressonância Magnética
  • Tomografia Computadorizada
  • Ultrassonografia

Para inscrever-se no Padi, a clínica ou serviço deve possuir esses documentos:

  • Alvará da prefeitura
  • Alvará da vigilância sanitária
  • Inscrição no Conselho Regional de Medicina (CRM)
  • Inscrição do responsável técnico no CRM
  • Inscrição no Cadastro Nacional de Estabelecimentos de Saúde (CNES)

A inscrição deve ser feita neste site (www.cbr.org.br/padi), mediante preenchimento de formulário com informações completas sobre a clínica, upload dos documentos já descritos e concordância com o Regulamento do Padi.

A equipe do Padi informará por e-mail se o cadastro foi aprovado. Então, a clínica deverá acessar novamente o site do Padi com seu login e senha (área restrita) para fazer o download o contrato. A clínica ou serviço deverá imprimir duas vias, assinar, reconhecer firma das assinaturas e enviá-las ao Padi (Av. Paulista, 37, conj. 71, Bela Vista, São Paulo/SP, CEP: 01311-902). A clínica ou serviço depois receberá a sua via do contrato com todas as assinaturas. Na sequência, a clínica ou serviço deverá acessar, na mesma área restrita, o boleto para pagamento.

Dando início ao processo de acreditação, a clínica ou serviço deverá enviar pelo sistema amostras de imagens de exames realizados conforme as modalidades diagnósticas com que atua (Densitometria Óssea, Mamografia, Raio-X, Ressonância Magnética, Tomografia Computadorizada e Ultrassonografia). O envio deve ser digital (sistema Dicom), via site do Padi (área restrita). Serão aceitas imagens em CD por Correios, mas o prazo para agendamento da primeira auditoria precisará ser estendido.

Uma vez aprovadas as imagens submetidas, a clínica ou serviço deverá enviar ao Padi o relatório de uma auditoria interna do seu Sistema de Gestão da Qualidade (realizada, no máximo, um ano antes). Na sequência, será agendada pelo Padi a auditoria de acreditação. Esta ocorrerá somente após seis meses da assinatura do contrato, estando a clínica ou serviço adimplente com todos os pagamentos ao Padi.

A clínica ou serviço receberá um Comunicado de Confirmação de Auditoria, no qual constarão as informações da equipe auditora, auditor líder e recursos necessários a serem disponibilizados durante a auditoria. Três dias úteis antes da data da auditoria, receberá também o Plano de Auditoria, a ser conduzido de acordo com os requisitos da Norma Padi, buscando avaliar a conformidade de todos os processos e atividades executadas pela clínica ou serviço.

O Relatório de Auditoria, contendo as conclusões e eventualmente não conformidades, observações e oportunidades de melhoria, será entregue à clínica ou serviço no encerramento da auditoria e submetido à Comissão de Acreditação.

Após análise e aceitação dos relatórios e evidências, a Comissão de Acreditação deliberará sobre a concessão do Certificado de Acreditação. Este terá validade de um ano e poderá ser renovado desde que a clínica ou serviço cumpra o cronograma de auditorias de manutenção definido pelo Padi e esteja adimplente com seus compromissos financeiros junto ao programa.

Mais uma vez, o Colégio é pioneiro ao estabelecer um programa específico para a Radiologia e Diagnóstico por Imagem com participação ativa dos profissionais da área. Será uma ação fundamental no sentido de auxiliar as clínicas e serviços de imagem a demonstrarem formalmente sua capacidade de prestar serviços com qualidade técnica, de gestão e com foco na segurança do paciente, tendo sua competência atestada pela entidade que representa a especialidade em caráter oficial no Brasil.

O Padi é o primeiro programa de acreditação do Brasil em Diagnóstico por Imagem a avaliar a qualidade dos exames e dos laudos. O processo está baseado na experiência consolidada do CBR com os selos de qualidade nas modalidades diagnósticas.

Todo o processo de avaliação é feito de maneira sigilosa e isenta. O auditor radiologista não sabe a qual serviço as imagens pertencem, nem qual médico realizou o laudo. Os serviços devem enviar as imagens com no máximo três meses de realização. O prazo para submissão é de sete dias a contar da data na qual o Padi enviou a solicitação.

O programa é educativo. Eventuais não conformidades encontradas nos exames e/ou laudos serão informadas à clínica ou serviço com os comentários pertinentes ao caso. O candidato terá um prazo para se adequar em relação à qualidade das imagens e dos laudos até uma nova avaliação do Padi.

A partir de janeiro de 2017, o valor mensal passou a ser de R$ 990 para as clínicas e serviços que tiverem um CNPJ e forem sócios em dia da Associação Brasileira das Clínicas de Diagnóstico por Imagem (ABCDI) – representação de pessoas jurídicas ligadas ao CBR – e de R$ 1.270 para os não associados. Caso a clínica ou serviço tenha mais de um CNPJ, haverá um acréscimo mensal por CNPJ de R$ 150, tanto para associados como para não associados.

A Associação Brasileira das Clínicas de Diagnóstico por Imagem (ABCDI) é um departamento do Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem (CBR) formado em 2001 para acolher clínicas e serviços de Diagnóstico por Imagem como pessoa jurídica. Os associados adimplentes da ABCDI têm desconto para inscrever-se no Padi.

Descontos em cursos de gestão de clínicas, classificados gratuitos no portal e no Boletim do CBR, assessorias jurídica e administrativa são outras vantagens de ser associado da ABCDI. Os cadastros da ABCDI e do Padi terão comunicação no sistema do CBR para evitar repetições e centralizar as informações a respeito das pessoas jurídicas, de forma a mantê-las atualizadas.

Mais informações: www.abcdi.org.br

Norma Padi

Diretrizes Técnicas

Submissão de Imagens e Laudos

Regulamento do Padi

Regulamento do Candidato à Acreditação e do Serviço Acreditado

Regulamento do Auditor

Para acessá-los, clique na aba Norma e diretrizes neste site.

O Padi tem formado auditores externos por meio de cursos teóricos de 40 horas e prática em auditorias. A formação mínima exigida é graduação na área de saúde, em Administração ou Economia. Os nomes dos auditores designados para cada auditoria serão sempre informados pela equipe do Padi.

Existem também os auditores internos, que são pessoas do próprio serviço que se capacitam com o objetivo de preparar o seu local de trabalho para participar do Padi. Não é obrigatório que a clínica ou serviço tenha um auditor interno, mas certamente uma pessoa com esta formação facilita o cumprimento de requisitos do programa, como apresentação do relatório de uma auditoria interna do seu Sistema de Gestão da Qualidade (realizada, no máximo, um ano antes) e do seu manual de qualidade vigente.

Missão

Incentivar e reconhecer o cumprimento de requisitos de segurança, qualidade e sustentabilidade por parte dos serviços de Diagnóstico por Imagem.

Visão

Ser o programa de referência nacional em acreditação reconhecido como diferencial pelos serviços de Diagnóstico por Imagem, pela comunidade científica, órgãos reguladores do sistema de saúde, operadoras de saúde e pela população.

Valores

Ética

Confidencialidade

Qualidade

Segurança do paciente

Educação continuada

Respeito às diversidades e culturas regionais

Sustentabilidade

Primeiramente os pacientes, pois o Padi incentiva a qualidade das clínicas e serviços e sinaliza para toda a sociedade quais são acreditados. As próprias clínicas e serviços são beneficiados de diversas maneiras: passam por avaliação externa, técnica e detalhada, resultando em excelentes oportunidades de melhoria; têm seu trabalho e seus resultados acreditados por um programa de credibilidade e específico da área de Radiologia e Diagnóstico por Imagem; podem divulgar a sua acreditação à sociedade e ao mercado. Os médicos radiologistas, ultrassonografistas e todos que utilizam métodos de imagem, além dos médicos solicitantes, são bastante beneficiados com as melhorias implantadas a partir do processo de acreditação no Padi.